Image Map

20.3.12

Outro Roedor - Esquilo da Mongólia/Gerbil

Olá. Bom, a Rebecca, uma de nossas leitoras do blog, nos deu a dica de falar um pouco sobre o gerbil. Achei uma boa ideia, porque eu também tenho e é um ótimo animal. E pela minha experiência com as minhas duas fêmeas, posso dizer que o gerbil é um ótimo animal, não só para crianças, como adultos também; e recomendo ele para aquelas pessoas que não querem tanto trabalho de limpeza com ele, quero dizer, ele chega a ser mais limpinho que um hamster sírio por exemplo.
Obrigada Rebecca.


Gerbil
Os roedores não são normalmente apegados aos donos como são os cães. Os esquilos da mongólia (Meriones unguiculatus) ou gerbilos preservam um forte extinto de animal selvagem. Nem mesmo os hamsters ou cobaios ficam muito apegados ao dono. Mas nem por isso deixam de ser excelentes animais de companhia, devido ao temperamento sociável e pacífico. Sua origem é do deserto e áreas semidesertas da Mongólia e nordeste da China, o Gerbil, como é chamado nos Estados Unidos e Europa.
Por ser um animalzinho limpo, ocupar pouco espaço, não produzir cheiro ruim e ser dócil e de fácil adestramento, o Gerbil já faz parte, hoje, da lista dos 10 animais de estimação favoritos nos lares americanos e, está aumentando muito a venda em Pets no Brasil.
Sua cor original é marrom-dourado com as pontas do pêlo pretas, chamada de "agouti", mas há várias mutações obtidas por seleção em cativeiro e já fixadas: marrom-dourado com pintas brancas, pintado (várias e maiores manchas brancas), preto, prata e suas tonalidades, branco, albino (tem olhos vermelhos), preto, cinnamon (canela), cinza-amarronzado, ouro prateado, chinchila e azul.

Alimentação
A alimentação deve conter sementes, ração, verduras e se possível insetos, tais como grilos e tenébrios. Pode-se comprar alimentos próprios para gerbilos como os da ALCON (Alcon Club Roedores - Alimento Extrusado  e Alcon Club Roedores - Frutas e Legumes .) Os níveis nutricionais recomendáveis para gerbilos são os seguintes: para manutenção: proteína 12%, gordura 6 a 8%; reprodução: proteína 15 a 16%, gordura 7 a 9%; animais velhos (após 2 anos de idade): proteína 10 a 11% e gordura 3 a 5%. No alimento pode ser adicionado uma pequena quantidade de suplemento vitamínico em pó (Labcon Roevit ). Pode-se fornecer comida a cada 2 dias, mas não deixar faltar alimento. Não deixar faltar água limpa para beber. Deve conter um bebedouro tipo mamadeira e um comedouro, ambos sempre limpos. Manter sempre um bloco Alcon Rodent  à disposição.

Reprodução
Manter apenas uma fêmea por caixa, já que nessa espécie as fêmeas são dominantes e, a longo prazo, não aceitam outras fêmeas. Se você quiser ter um casal o ideal é juntá-los ainda filhotes para evitar brigas. A maturidade sexual a partir de 65 a 85 dias. O cio é de 4 a 6 dias. Deve se dar um descanso de 30 dias após 5 meses de reprodução. Gestação varia de 24 a 26 dias e, tem uma média de 6 filhotes. O ideal é separar os filhotes com 3 a 4 semanas e por sexo com 1 mês. Para saber se é macho ou fêmea é fácil: basta olhar e apalpar a genitália, percebe-se então, os testículos proeminentes ou não. Antes dos 7 meses de idade é mais difícil diferenciar o sexo, pois os testículos podem ficar no canal inguinal. A limpeza da gaiola pode ser feita uma vez por semana.
Observar para que na caixa abrigo não haja superpopulação - isto poderia levar ao estresse da mãe e o abandono dos filhotes. Recomenda-se dar uma semana de descanso para a mãe e filhotes, deixando-os em lugar fresco e tranqüilo. Nesse período, trocar apenas o alimento e água. As mães primíparas, ou seja, aquelas que criam pela primeira vez, podem não ter o instinto materno e deixam os filhotes morrer. Já as mães velhas, podem não ter leite suficiente prejudicando a sobrevivência da cria.

Manejo
Não se deve dar banhos no gerbil, isso pode provocar problemas sérios de saúde, por exemplo, pneumonia. A limpeza da gaiola é feita retirando-se o material antigo e substituindo-o por novo. Pode passar um pano úmido e continue passando álcool (sem o animalzinho dentro da gaiola). Evite dar tecidos, algodão e plásticos, pois ele pode ingerir e morrer por obstrução gástrica. Dê papelão e madeira para ele roer. Porém, nunca dê madeira de cedro e pinus, que contém gases tóxicos para os pequenos roedores.
Os dentes incisivos dos roedores crescem continuamente, portanto, roer é um hábito saudável. Ponha galhos ou cascas de árvores na caixa dele. Isso distrai o animal e desgasta os dentes. Os dentes só vão crescer sem parar se as mandíbulas estiverem fora de alinhamento, daí é uma condição patológica. Realmente eles mastigam tudo que está pela frente. Assim, aqueles brinquedinhos plásticos para hamster serão provavelmente triturados. Brinquedos e rampas na gaiola distraem o animal e são necessários para o bem estar. Eles gostam de roer e fazer ninhos. Aqueles rolos de papelão no centro de papel higiênico podem se tornar brinquedos interessantes, os quais eles roem e fazem ninhos. Brinquedos de cerâmica são mais difíceis de serem roídos e ingeridos. Faça você mesmo o ambiente do seu animal, você vai aprender e se divertir com ele. Veja o que ele gosta e faça as mudanças conforme a necessidade. Você pode pôr pedaços de madeira para a cama e outros materiais como papel picado. Um grande aquário pode funcionar como viveiro para estes animaizinhos. Mantenha sempre a higiene do ambiente.

Doenças Transmissíveis
Os gerbilos são roedores e podem transmitir zoonoses (doenças transmissíveis dos animais para o homem e vice-versa), apesar de isto ser improvável quando mantidos em ambiente doméstico e em boas condições sanitárias. Uma das doenças que pode ser transmissível ao homem é a Salmonelose, causada pela bactéria Salmonella spp. Tanto nos animais como no homem, a salmonelose causa diarréia e desidratação. Esta bactéria está muitas vezes envolvidas em surtos de intoxicação alimentar.
Recomenda-se que os gerbilos sejam mantidos em ambiente limpo e a qualquer sinal de doença, deve-se procurar auxílio veterinário. A leptospirose é outra doença que pode ser transmitida pelos animais domésticos, inclusive gerbilos. É causada pela bactéria Leptospira spp. e normalmente é transmitida através da urina de ratos. Portanto, manter os gerbilos longe de ratos e urina destes. Costuma-se vacinar cães e gatos contra esta doença, mas não os roedores de estimação. Em humanos a leptospirose pode causar infecção grave com febre, cefaléia e icterícia. O Hymenolepis nana é uma tênia, que parasita o intestino delgado de roedores. Pode contaminar o homem também. Exames de fezes rotineiros nos animaiszinhos indicam se estão livres deste parasita. Basta entrar em contato com um médico veterinário e solicitar exame de fezes dos gerbilos.


Até mais,
Michelle.

6 Comments:

Shiro e Amigos said...

Muito interessante!
Não sabia dessa possibilidade de transmissão de doenças a humanos.

Michelle Camargo said...

Sim, mas não é nada de outro mundo também...
Pois os animais transmitem doenças mesmo.
Agora só falta vir os ignorantes e dizerem que são um animal ruim porque eles transmitem doenças -.-

Sonic Heroes said...

Poisé Michelle , estou fardo de fica dizendo que eles não transmitem doenças ¬¬

Bruna Trovão said...

eles são uma gracinha!!!
eu tenho um hamster que já me exige muuuuuita atenção, mas se futuramente eu quiser mais um animalzinho pra amar esse será uma das escolhas... achei super legal saber que eles são companheiros como cães e gatos!
muito bom o post!
bjo

Anônimo said...

Obrigada Michelle por postar a minha sugestão é que a minha amiga tem dois gerbils e ela disse que são animaizinhos super legais de se ter então queria saber um pouco mais!!!

Obrigada
Rebecca

Shiro e Amigos said...

Nenhum animal é ruim por transmitir doenças! Os cães também transmitem e não é por isso que as pessoas deixam de os ter --'

Eu adoro gerbos :P O que mais me fascina é a cauda deles! Também quero ter um!

Postar um comentário

Dúvidas? Comente!
Não esqueça de se identificar